Veja a matéria que saiu no site Garota Jambo
Treinar de maneira adequada, por vezes é altamente complexo, pois inúmeras variáveis fisiológicas, psicológicas e comportamentais estão em jogo. Graças a isto, muito se cria e recria nesta área. Ainda que pouco se tenha de pesquisa científica que comprove tais fatos.
Analisando os aspectos fisiológicos, comprovamos  que treinamento de força acarreta inúmeras alterações, dentre elas: produção de força muscular, aumento da atividade das enzimas glicolíticas, aumento do estoque de ATP/CP, hipertrofia das fibras musculares, adaptações no sistema nervoso, para o recrutamento de unidades motoras.
Já o treinamento aeróbio aumenta a quantidade de mioglobina intramuscular, capacidade aeróbia e enzimas oxidativas. Por isso, essas respostas antagônicas podem afetar a evolução das características particulares de cada uma dessas valências fisiológicas.
Entender tudo isso nesse momento atual que estamos vivendo, na era do culto ao corpo, em que ser magro é bonito, mas nem sempre saudável é primordial. Contudo, manter-nos no peso ideal é sempre saudável. Por isso devemos entender que tipo de atividades e hábitos alimentares são necessários para se alcançar o peso ideal, músculos saudáveis e articulações funcionais.
O método Pilates gera aumento de trofismo muscular e esse trofismo muscular quanto maior, maior será o metabolismo basal, ou seja, acelerando o metabolismo, se gera maior gasto energético e maior perda de gordura. Contudo, o pilates não é um método direcionado para o emagrecimento, mas certamente auxilia no processo.
E a corrida, quando aliada ao método Pilates, pode ser uma grande aliada no processo de emagrecimento. A corrida é uma atividade que aumenta o metabolismo, acelera o consumo de gordura como fonte de energia e leva ao emagrecimento, enquanto que o pilates aumenta o trofismo e com isso o metabolismo basal e maior queima durante a aula e consequentemente maior perda de peso.
A contrapartida também é muito compensadora, uma vez que associando a corrida ao pilates, há o aumento tanto do metabolismo quanto da atividade cardiorrespiratória, o que facilita a execução dos exercícios de Pilates, já que o aluno diminui a fadiga.
Por isso, a associação das duas atividades é extremamente benéfica para a perda de peso e a manutenção desse novo peso. A sugestão da Profa Dra Eliane Coutinho é que haja a alternância durante a semana entre a corrida e o pilates. Se o objetivo for potencializar o pilates no ganho de força e flexibilidade, faça três dias de pilates e dois dias de corrida. Por outro lado, se o objetivo for a perda maior de peso, o indicado são três dias de corrida e dois de pilates.
Resumindo então: se você deseja incrementar estes dois tipos de treino, com certeza aumentará, em muito,  o seu gasto energético e o metabolismo basal e consequentemente maior perda de peso.
Experimente uma aula de Pilates Clássico Científico com um dos profissionais da Fisiociencia (11) 3571-9597

Confira a matéria no site Fashion and Management

O método Pilates surgiu para reabilitar, para devolver a função e para mostrar novas possibilidades que o corpo tem de auto promover saúde por meio do movimento.
Com a disseminação do método cada vez maior, o número de estúdios e o número de cursos aumentam de forma exponencial gerando muitos profissionais que atuam com o “método”, muitas vezes sem a formação adequada, o que compromete a qualidade das aulas/sessões do método Pilates.

Por conta disso, a Profa Dra Eliane Coutinho alerta aos alunos/pacientes  e até aos profissionais para buscarem serviços e formações de qualidade respectivamente. “A mudança começa no aluno, ele precisa ser mais exigente quanto aos profissionais que eles escolhem. É preciso procurar estúdios não pelo preço e sim pela qualificação do profissional”, relata Eliane.

O primeiro contato do aluno com a clinica ou estúdio de Pilates é suficiente para perceber a qualidade da qualificação profissional. Deve-se ficar atento a qualidade da linguagem  que o profissional usa durante a sessão/aula, o seu nível de entendimento, de compreensão sobre o corpo, sobre a função muscular e o processo de adaptação durante os exercícios. Esses pontos irão dar maior segurança no momento da escolha do profissional.
Apesar do alerta, atualmente o índice de lesões só aumenta nas sessões/aulas de Pilates, quando na verdade o método propõe-se a tratar e não a lesionar. Isso deve-se a provável falta de conhecimento profundo sobre a filosofia do método, que prima por um princípio que pode ser o grande responsável pela prevenção de lesão que é o CONTROLE.
Para que o professor seja qualificado a dar aulas de pilates, é preciso que ele entenda que o exercício mais lento recruta mais unidades motoras (maior número de fibras) diminuindo assim a fadiga e menor lesão, assim como a respiração deverá ser profunda para aumentar a capacidade respiratória e com isso mais aporte de oxigênio muscular e menos fadiga e consequentemente menor chance de lesão.
Além disso, para muito profissionais não é claro que os exercícios de cadeia cinética aberta sobrecarregam as articulações de forma pontual, as deixando mais sucessível a lesão. E precisa também  ficar claro que o músculo alonga-se de forma máxima quando seu antagonista realiza contrações efetivas, caso contrário ele não relaxa o suficiente para ser alongado e assim tem a lesão como consequência.
As lesões ocorrem muitas vezes em posições de suspensão onde o aluno não tem força suficiente para sustentar seu próprio corpo, assim como a repetições de exercícios em posição sentado, postura essa que mais sobrecarrega os discos intravertebrais da região lombar.
Lesões ocorrem quando o instrutor não entende que os exercícios em cadeia cinética aberta (exercícios de músculos isolados) podem sobrecarregar mais os músculos e as articulações e que os exercícios para idosos deveriam serem mais em cadeia cinética fechada, trabalhando grupos musculares e distribuindo melhor a sobrecarga articular. Assim quando entendermos melhor  o processo de adaptação músculo esquelética ao exercício poderemos tratar mais adequadamente e prevenir lesões.
Portanto, o profissional fisioterapeuta ou educador físico deverão entender muito bem esses processos, e assim prevenir lesões. Por isso, profissionais e clientes fiquem em alerta, procurem cursos de qualidade e locais com profissionais qualificados que de fato não ensinem só exercícios mas, saibam a filosofia e base científica do método, porque hoje o método Pilates está deixando de ser simplesmente uma técnica de exercícios e passando a ser uma carreira. Por isso, profissionais, investiguem quem irá ministrar o curso e não apenas a escola que está oferecendo o curso. Investiguem o histórico do professor e consultem outros  profissionais que já fizeram o curso para saber a experiência com o método e o que mudou em sua vida após tal formação.
Texto de LQ Comunicação para o blog Moda e Gestão

Confira a matéria no site Pilates Magazine

Segundo pesquisas feitas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) cerca de 80 % da população mundial sofrerá com dores nas costas. No Brasil, de acordo com o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia, ao menos 27 milhões de brasileiros sentem dores na coluna. Inclusive é uma das principais causas de afastamento no trabalho de jovens abaixo de 40 anos.

Por isso, a fisioterapeuta e PhD Profa. Dra. Eliane Coutinho alerta que as dores não devem ser negligenciadas e a busca por um profissional qualificado é fundamental para sanar a dor. A Dra. Eliane também lembra que as principais dores que acometem os indivíduos são as dores decorrentes de má postura, movimentos repetitivos, traumas, sobrecarga e sedentarismo. Como estas causas geram dor vamos descobrir agora.

A Má Postura e suas consequências

Para entender melhor, a professora Eliane explica que as dores nas costas provenientes da postura errada são causadas devido a alteração na estrutura da coluna. A coluna vertebral é um dos segmentos mais móveis do corpo, entretanto existe um eixo e um plano correto para que se ocorra o movimento, quando o indivíduo muda esse eixo ocorre descargas em algumas estruturas, mais do que em outras. Ou seja, ocorre um desequilíbrio de forças e isso ao longo do tempo gera lesões nas estruturas que envolvem a coluna como os ligamentos e discos.

Esses desequilíbrios podem ocorrer principalmente quando o indivíduo está sentado de forma errada, visto que, a postura sentada é uma das que mais gera compressões na região lombar, contudo, se durante essa posição que gera muita sobrecarga o indivíduo ainda estiver com uma postura errada isso vai acarretar lesão. Por isso, é importantíssimo sentar corretamente sobre os ísquios (ossos do bumbum) e não sobre o sacro (parte final da coluna) e ter músculos fortes pra sustentar a coluna ereta.

Movimentos repetitivos

Os movimentos repetitivos não precisam ser movimentos vigorosos ou com muita carga para acarretar lesão. Basta movimentos leves, mas repetidos inúmeras vezes para gerar sobrecarga. Por isso, avalie como movimenta-se no seu trabalho ou no dia a dia e quantas vezes esse movimento é realizado, para que se possa detectar se esse movimento é a causa da lesão. Exemplos disso são movimentos de abaixar e levantar muitas vezes, girar o tronco, entre outros.

Traumas diretos

Os movimentos repetitivos levam a traumas, contudo ocorre os traumas diretos que geram graves lesões, como freadas bruscas no transito, quedas, acidentes de trânsito, etc. E esses traumas diretos também podem gerar pequenas dores nas costas a curto que aumentam ao passar do tempo  se não tratada adequadamente.

Sobrecarga por excesso de peso

Os movimentos repetitivos  podem gerar sobrecarga e levar a dor, porém a sobrecarga decorrentes de levantamento de grandes cargas ou quando o indivíduo estar acima do peso pode ser a grande causa da dor nas costas, Por exemplo, o movimento de abaixar e levantar carregando grandes cargas, acima da qual, a coluna suportaria ou mesmo a prática de esporte como futebol de final de semana quando se estar acima do peso pode ser o motivo desencadeante da dor. Essa sobrecarga leva a traumas principalmente nos discos intervertebrais, o que causa a famosa hérnia de disco e o clássico quadro de dor irradiada para perna.

Sedentarismo

O sedentarismo pode ser uma das principais causas de dores nas costas, embora  não existe trauma ou movimentos repetitivos, existe uma fraqueza nos músculos que seguram a coluna de tal forma que qualquer movimento, desde os mais leves e até mesmo como dormir ou ficar sentado pode causar sobrecarga e levar a dores limitantes.

Para entendermos  melhor, explica a Dra. Eliane, a coluna é composta de estruturas passivas e ativas. As estruturas passivas são os ligamentos, tendões, discos e articulações e as estruturas ativas são os músculos. O que sustenta as estruturas passivas da coluna são as estruturas ativas, ou seja, os músculos, que através de seu tonos,  trofismo e de sua contração sustenta os componentes de toda a coluna vertebral. Contudo, quando esses músculos estão fracos, a coluna vai perdendo toda a sua “sustentação”  proteção e estabilidade.

Em resposta ao sedentarismo, os músculos de todo o corpo ficam fracos e como a coluna é o eixo do corpo desde a cabeça até o quadril, quando o conjunto dos músculos do corpo estão fracos, sem duvida isso interfere no sistema de sustentação da coluna, em especial se os músculos diretamente envolvidos com a coluna ficam insuficiente pela fraqueza, essa coluna “desabará” gerando os quadros de dor.

Como prevenir ou tratar

Para prevenir é essencial a prática de exercícios físicos para fortalecer os músculos da coluna, no entanto é preciso saber que tipo de exercícios são indicados para cada pessoa, pois pode ocorrer lesões durante os exercícios, devido a fraqueza desses músculos que sustentam a coluna. Assim, uma coluna sem dor é resultado de uma rotina de pratica de exercícios certos.

Atualmente o método Pilates é considerado um grande aliado na saúde do corpo e em especial da coluna, uma vez que o método treina a musculatura superficial e profunda de forma efetiva, o método não trabalha simplesmente músculos isolados, os exercícios de Pilates trabalham de forma efetiva as cadeias musculares que sustentam o corpo e a coluna. Além do trabalho global, o método foca nos estabilizadores da coluna durante toda a sessão tanto em um trabalho estático, como em um trabalho dinâmico e funcional.

Por isso, o método é um tratamento eficaz para quem sofre com dores na coluna e também é um método preventivo para disfunções lombares decorrentes do sedentarismo. Dessa forma, a Dra Eliane Coutinho indica que sejam feitos os exercícios clássicos do método com profissionais qualificados, para um resultado efetivo e assim ganhar um novo corpo e uma nova coluna.

Neste episódio iremos falar sobre coluna neutra e fase aguda na hérnia de disco. Esse conteúdo irá te ajudar a conseguir resultados mais assertivos com os seus clientes. Acesse agora e conheça as dicas incríveis dadas pela Profa Eliane Coutinho.

Para assistir mais vídeos sobre Pilates no tratamento das doenças da coluna, clique aqui.

curso pilates

Conheça o Curso de Pilates da Fisiociência da Eliane Coutinho

A Fisiociência Pilates é uma empresa coordenada pela professora Dra Eliane Coutinho que oferece curso de Pilates com embasamento científico, onde todos idealizados e ministrados por ela e sua equipe. A fisiociencia oferecer um dos principais curso do país, Pilates Clássico Científico®, o qual foi criado  pela Dra Eliane Coutinho, que pautou o curso em suas pesquisas de mestrado, doutorado e pós doutorado em adaptação músculo esquelética. A Fisiociencia é uma Escola que oferece Curso de Pilates em todo Brasil.

Metodologia técnica do Curso de Pilates

A formação em pilates é um curso com uma metodologia técnico científica a qual aborda o método desenvolvido pelo  Humbert Joseph Pilates que o criou na Alemanha, com objetivo de condicionar e reabilitar indivíduos de todas as idades com disfunções músculo esqueléticas além de ser um método voltado para a promoção da qualidade de vida e bem-estar

O curso de Pilates é destinado a fisioterapeutas, educadores físicos e profissionais da dança  com curso superior, ou profissionais que reabilitam o movimento humano que tiveram no currículo da universidade as disciplinas de cinesiologia, biomecânica e fisiopatologia.

Princípios básicos

Durante o curso de Pilates esses profissionais deverão aprender os princípios básicos de adaptação músculo esquelético ao exercício, origem e fundamentos do método com seus princípios e aplicações, deverão aprender todo repertório original de exercício de solo (Mat Pilates) e de equipamentos (Stúdio Pilates), as principais influência contemporâneas que o método original sofreu e sofre, os princípios biomecânico que influenciam no tratamento das doenças da coluna além de, avaliação posturas (programa computadorizado de avaliação postural), avaliação da coluna (estabilização e flexibilidade) e aula de marketing visando estabelecer os novos empreendedores no mercado.

Carga horária

A Carga horária do curso de Pilates deverá ser entre 180 e 350 horas aula com estágio supervisionado.

O professor que ministra o curso de Pilates  deverá ser um pesquisador na aérea, no mínimo com mestrado e profundamente conhecedor do método Pilates com formação sólida na área.

Esse curso ministrado por esse professor deverá capacitar o profissional para atuar após término do curso  e montar seu próprio negócio.

 

5 Passos para montar uma aula de Pilates

Nesta palestra Online a Profa Eliane Coutinho Phd, ensina 5 Passos Fundamentais para montar uma Aula de Pilates que Vence a Crise, assista a palestra completa clicando no vídeo abaixo:

Pilates na Astenia do Câncer

O método pilates também pode ser um ótimo aliado no combate ao câncer de mama.

O câncer de mama provoca várias alterações no corpo e também no psicológico da mulher. O tratamento contra essa patologia pode provocar sensações pontuais de fadiga muscular, perda da força muscular, que é conhecido como astenia. Astenia é um termo usado na medicina para designar fraqueza muscular. Os pacientes de tratamento contra o câncer sofrem com essa sensação de fadiga e de perda da força nos músculos.

Esses problemas associados, a depressão, que é comum em pessoas acometidas pelo câncer, podem ser amenizadas por meio da atividade física e entre elas o Pilates, que é sem dúvida considerada uma atividade de grande indicação, pois é uma pratica de baixo impacto e com uma capacidade de adaptação para as necessidades e habilidades das pessoas que sofrem com câncer de mama muito grande.

Hoje o grande foco dos estudos é descobrir se o treinamento físico, seja com o método pilates, ou com qualquer outra forma de terapia física, influência nos efeitos anticancerígenos da terapia citotóxica convencional. É sabido que a interação potencial entre o exercício e a eficácia da quimioterapia é biologicamente plausível, segundo a fisioterapeuta PHD em pilates Eliane Coutinho.

Pilates como atividade de baixo impacto

O pilates, considerado uma atividade muito estimulante e de baixo impacto, ajuda a diminuir o nível de stress, pois trabalha a conexão entre mente e corpo, essencial para diminuir o nível de depressão desses pacientes com diagnóstico de câncer de mama.

É sabido que o exercício provoca uma redução significativa nas taxas de câncer, especialmente de colo e mama. As possíveis explicações devem estar na redução nas reservas de gordura, aumento do gasto energético compensando a dieta rica em gordura.
Os exercícios também ajudam a equilibrar as alterações relacionadas aos níveis de hormônios sexuais, função imune, insulina, fatores de crescimento semelhante a insulina, geração de radicais livres e os efeitos diretos sobre as células tumorais.

Dessa forma, é nítido o efeito benéfico do método Pilates sobre a qualidade de vida sobre mulheres com câncer de mama.

Influência do Pilates na postura corporal

O pilates influência diretamente na postura do tronco, uma vez que os exercícios trabalham a organização escapulo-torácica, melhorando a dinâmica dos movimentos do ombro e evitando dores na região das mamas.O pilates também ajuda a melhorar os movimentos de todo o membro superior, e da coluna-torácica.

É necessário entender que o método pilates apresenta vários exercícios excêntricos. Esses exercícios deveram ser prevenidos por que são exercícios com maior capacidade de micro-lesão muscular, sendo priorizado os exercícios de alongamento e de contração isométrica e concêntrica.

Além de tratar das alterações musculares e articulares, o método também trabalha o componente psicológico da mulher. O tratamento com o pilates, está indicado para todas as mulheres com câncer de mama, pois aumenta a autoestima, melhora as dores articulares na área dos ombros, melhorar a mobilidade escápula-torácica, contudo, deverá ser suspenso durante a quimioterapia ou radioterapia, ou com concentração de leucócitos abaixo do desejado. A atividade também deve ser sempre acompanhada pelo oncologista que poderá suspender ou indicar a qualquer momento a prática do método.

O Pilates já tem sido aplicado com bons resultados nos processos de reabilitação funcional, resultando em benefícios para a saúde geral, aumento de força, articulações mais saudáveis e aumento da capacidade respiratória o que beneficia todas as mulheres com câncer.

Profa Dra Eliane Coutinho -Phd
Mestrado e Doutorado – UfsCar/SP
CEO da Fisiociencia®
www.fisiociencia.com.br

Pilates e Ginástica são atividades diferentes. Entenda.

Muitas academias estão transformando os exercícios de Pilates em ginástica localizada sem se atentar para o fato que o método criado por Joseph Pilates, quando usado com o objetivo de ganho de força e de hipertrofia de forma isolada, pode provocar lesões graves. É o alerta que faço para você depois dos meus muitos anos de estudos dedicados ao Pilates e como diretora da Fisiociência, uma das principais certificadoras em Pilates no Brasil.

O Método está fundamentado no equilíbrio neuromuscular global. Quando os exercícios são realizados usando grupos musculares de forma isolada, ele pode levar a desequilíbrios de forças musculares, levando a sobrecargas e a lesões articulares e até desequilíbrio postural.

O Pilates prima por equilíbrio de forças entre os músculos agonistas e antagonistas, associado com alongamento dos mesmos grupos musculares; o que proporciona força e flexibilidade de forma organizada.

Outro aspecto importante é que, embora um determinado exercício esteja trabalhando os músculos da coxa, por exemplo, as demais articulações devem estar estáveis. É o caso da coluna vertebral, que deverá estar sempre estabilizada durante todos os exercícios – caso contrário, o aluno poderá sair dos exercícios com dor..

Para entrar em forma por meio dos exercícios de Pilates e ganhar hipertrofia muscular (aumento da área e do comprimento do músculo), o método apresenta um repertório diversificado de exercícios no solo (Mat Pilates) e nos equipamentos (Studio Pilates). A melhor escolha são os exercícios com alavancas maiores, geralmente os de grande amplitude que promovem maior recrutamento muscular.

É muito importante que o instrutor de Pilates escolha os exercícios que melhor se adequem às necessidades do aluno e que promovam o fortalecimento de todos os grupos musculares. Com muito estudo e cautela adequada, é possível alcançar os resultados desejados rapidamente e sem problemas e lesões.

Método pode ajudar a retardar a doença que degenera o cérebro

 Alzheimer ou mal de Alzheimer é uma doença degenerativa do cérebro caracterizada pela perda das faculdades cognitivas superiores e manifestando-se, inicialmente, pela alteração da memória episódica. Essa deficiência agrava-se com a progressão da doença e pode, posteriormente, vir acompanhada pelas deficiências viso-espaciais e de linguagem. O início da doença pode, muitas vezes, dar-se com uma simples alteração de personalidade.

 O pilates pode ajudar nessa patologia com o objetivo de melhorar a coordenação motora – os padrões motores que vão sendo perdidos ao longo da doença. É um trabalho preventivo que deve ser realizado bem no começo, onde também esses padrões estimulam a memória.

Pode ser trabalhado em grupo para melhorar a sociabilização e o humor do aluno, que são extremamente comprometidos durante o processo de evolução da doença. Todos os estudos que investigam o efeito do exercício na doença, mostram que realmente ajuda na melhora do humor; onde o Pilates pode ser um grande aliado no combate a evolução por trabalhar concentração, controle e coordenação durante a execução dos exercícios.  

Trabalha-se também bastante a estabilidade do indivíduo, visto que ele vai perdendo a coordenação motora e o equilíbrio

O pilates irá trabalhar com um conjunto de padrões, com o objetivo de estimular a memorização do exercício. Então, além do método trabalhar a sociabilização, trabalha também, junto com os padrões de movimento, o estímulo da memória por meio das associações dos nomes dos padrões de movimento com os movimentos que os alunos realizam em cada aula.

Pratique pilates para se prevenir deste mal e evitar seu avanço!

O método pilates é indicado para cuidar da saúde da mulher durante o período da gestação e no pós-parto?

A gestação não é uma doença ou disfunção. Na verdade, durante o período da gravidez, a mulher tem suas funções adaptadas para o período gestacional, no qual ela precisa respeitar essas alterações fisiológicas – que não são patológicas e, sim, fisiológicas circunstanciais.

Durante a gestação, o método deve ser aplicado não como um treinamento físico, e sim como um método para melhorar o condicionamento da mulher para facilitar o processo de gestação, facilitando o trabalho de parto e acelerando sua recuperação pós-parto.

É importante ressaltar que, em cada trimestre da gestação, o método Pilates deve ter uma abordagem de acordo com as alterações sistêmicas. Contudo, está contra-indicada a atividade se houver algum fator específico ou pré-existente, como um aborto ocorrido no primeiro trimestre, ou quadro de placenta prévia, ou, ainda, histórico de sangramentos.

Benefícios do método Pilates

O método Pilates está indicado para a dispneia (respiração ofegante e cansaço), controle da pressão arterial alta e fadiga muscular gerada pela sobrecarga muscular. Também auxilia na diminuição das cãimbras pois promove hipertrofia longitudinal nos músculos, gerando mais flexibilidade. Aumentar a força de músculos importantes, como os estabilizadores da escápula, diminuindo a curvatura da coluna torácica (curvada para frente), reorganiza o centro de gravidade, melhorando o equilíbrio corporal. O método promove também estabilização da coluna lombar, dando mais conforto na coluna e reorganização biomecânica do compartimento lombo pélvico.

Pilates na gestação

O pilates também pode ajudar e muito à mulheres grávidas (ou não) na relação sexual pois, segundo estudo com a população brasileira conduzido em 2004 pela psiquiatra, fundadora e coordenadora do Projeto Sexualidade (ProSex) do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas, Carmita Helena Najjar Abdo e colaboradores, 49% das mulheres tem, pelo menos, uma disfunção sexual; sendo o desejo sexual hipoativo (26,7%) o mais encontrado, seguido de dor no ato sexual (23,1%) e disfunção orgástica (21%). Ou seja, durante o ato sexual, quanto mais força a mulher tiver no assoalho pélvico, melhor será o acoplamento do ato sexual e menor será a chance da mulher sentir dor e maior será a chance dela sentir prazer.

Outro fator que auxiliará neste momento é a mobilidade pélvica e a flexibilidade dos músculos adutores pois, com isso, a mulher conseguirá abduzir (abrir) os quadris facilitando a penetração – já que, quanto mais encurtados os músculos internos das coxas, mais limitada a abertura das pernas e maior dificuldade a mulher terá durante o ato sexual.

Considerando todos o benefícios e cuidados, a aula de Pilates deve ser iniciada no começo da gestação, sendo acompanhada por um professor com formação no método clássico e, principalmente, com formação em Pilates para Gestantes, que é outra formação.